spot_img

Força tarefa reforça segurança no Vale do Ivinhema depois de ataques de facção

Uma série de incêndios a residências e veículos foi registrada na noite de ontem e madrugada de hoje em Ivinhema em represália a prisões que ocorreram dentro da Operação Narco Brasil, desenvolvida pelo Ministério da Justiça. A retaliação teria partido de uma organização criminosa que teve alguns de seus membros presos e por ordem do “comando” foram incendiadas duas residências e três veículos foram queimados por criminosos. Pelo menos uma pessoa ficou ferida com queimaduras pelo corpo.

Durante todo o sábado foram desenvolvidas ações de policiais civis e militares e várias pessoas foram presas acusadas de participação nos ataques. Pelo menos seis suspeitos foram levados pela PM para a delegacia de Polícia Civil de Ivinhema. Segundo o Jornal da Nova, foram presos João Vitor da Silva Cordeiro e Augusto Nascimento Severino, ambos com 18 anos, e Almir do Nascimento Andrade, de 25 anos, e outros dois que não tiveram identidades reveladas.

Jeferson Tavares Cândido, de 26 anos, foi preso acusado de ordenar os ataques e novos incêndios estavam programados para acontecer durante o final de semana. Com isso a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP), enviou para o Vale do Ivinhema vários grupos especializados inclusive o Pelotão de Choque da PM de Campo Grande e investigadores do SIG de Dourados e Nova Andradina.

Durante todo o sábado centenas de pessoas foram revistadas e pelo menos três presas por tráfico e porte de arma de fogo.

Em um bar no bairro Triguinã foi descoberto um ponto de venda de entorpecente e um homem conhecido como Claudião foi preso em flagrante. As rondas continuam na noite deste sábado e devem se estender por outras cidades do Vale do Ivinhema.

Um dos acusados pelos incêndios chega na Polícia Civil de Ivinhema.(Foto: Ivinoticias)
VEJA TAMBEM

MAIS LIDAS